Padroeiro do Município

Nos primórdios da história da fundação de Vera já se pode encontrar a devoção à São Judas Tadeu - padroeiro do município -  trazida fervorosamente pelo Padre Antônio Heidler. Foi por meio de suas habilidosas mãos que  uma igrejinha, toda trabalhada em madeira e de arquitetura rústica foi construída e  dedicada com muito carinho ao Santo.

 

A sobrevivência diária era um verdadeiro desafio e algo extremamente difícil para os pioneiros. Não havia aqui remédio, nem comida suficiente, nem roupa ou qualquer outra provisão. O acesso a esta clareira – que hoje se chama Vera - parecia ser algo impossível.

 

Exatamente por este motivo, Padre Antônio, difundiu entre a população a devoção à São Judas Tadeu -- o Santo das Causas Impossíveis -- . E o padre não parou por aí. Compôs o Hino da cidade e aproveitou também para homenagear o Santo em uma das estrofes:

 

 

“É bom vir à Vera acolhedora,

Orar na Igrejinha ao padroeiro

Folgar numa festa animadora

É bom ser na Vera companheiro”

 

Não demorou para que o Bispo, Dom Henrique Froehlich criasse aqui a Paróquia que levou o nome do santo e nomeasse Padre Antônio como seu Pároco. Veja trecho do Decreto datado de 01 de abril de 1973:

 

“Fizemos saber que, atendendo ao desenvolvimento da região vicinal da Rodovia BR 165 e ao estabelecimento da Congregação das Irmãs

Missionárias do Santo Nome de Maria, erigimos a Paróquia São Judas Tadeu...”.

 

“..... Este Decreto será lido aos fiéis da nova Paróquia e integralmente transcrito no Livro Tombo Paroquial”.

 

“.... Fazemos saber que tendo sido criada a Paróquia São Judas Tadeu, havemos por bem prover na ocupação de pároco da mesma, com faculdades ordinárias o Reverendo Padre Antônio Heidler, da Companhia de Jesus, respondendo pelas obrigações e vantagens inerentes ao cargo de pároco da Paróquia São Judas Tadeu, com sede em Vera”.

 

Ass: Dom Henrique Froehlich  /  Prelazia de Diamantino – MT

(Fonte: Livro Princesinha do Nortão, pg. 77)

 

Em respeito à história social e principalmente religiosa dos primeiros moradores deste município, a Administração municipal, ao longo dos anos, valorizou esta iniciativa e logo concedeu ao santo das causas difíceis o título de Padroeiro.

 

No ano de 1987, foi criada a Lei 004 que estabelecia as datas dos feriados municipais. 19 anos depois, em 22 de agosto de 2006, esta Lei passou por uma alteração e -- após ter sido aprovada pela Câmara -- foi sancionada pelo Prefeito em exercício na época (José Nilton dos Santos).

 

A alteração dizia:

Ficam estabelecidos como feriados municipais as seguintes datas:

13 de Maio (Emancipação Política do Município)

27 de Julho (Fundação do Município)

28 de Outubro (Dia do Padroeiro da Cidade – São Judas Tadeu).

 

Após o falecimento do Padre Antônio, ele foi enterrado ao lado da Igrejinha (hoje tombada como patrimônio histórico). E, acompanhando a evolução dos tempos, uma imponente estrutura foi construída e a imagem do Santo Padroeiro colocada à sua frente.

 

 De acordo com a biografia de São Judas Tadeu, ele foi morto por pregar destemidamente a fé em Jesus Cristo. Por ter sido martirizado a golpes de machado, São Judas é representado segurando um machado e a palavra de Deus. Morreu pelo Evangelho. Em todo o mundo, ele é invocado e venerado por devotos que o tem como patrono nos casos desesperados e nas causas impossíveis.